Manual de exames
Nome: CARBOXIHEMOGLOBINA
Material: sangue total com EDTA
Sinônimo: CARBOXI
Volume: 5.0 mL
Método: Espectrofotometria
Coleta: após a coleta manter a amostra refrigerada e enviá-la imediatamente ao laboratório. A amostra tem estabilidade de 5 dias.
Interpretação: Uso: avaliação da possível exposição e/ou envenenamento pelo monóxido de carbono; diagnóstico diferencial de cefaléia, náusea, vômito, vertigem, coma, etc; avaliação da exposição ocupacional; avaliação da exposição ao monóxido de carbono em acidentes (incêndios, por exemplo). O monóxido de carbono é uma substância tóxica derivada da combustão de materiais orgânicos, entre outros. A exposição a este gás pode ocorrer de várias formas, como em ambientes fechados com tabagistas, motores, trânsito, incêndios, etc. A intoxicação por monóxido de carbono pode ser uma ameaça imediata à vida, e algumas vezes é necessário excluir a aspiração de fumaça na marcha de atendimento clínico a um doente grave. Em uma situação de envenenamento por monóxido de carbono, os níveis de carboxihemoglobina permitem o estabelecimento de prognóstico clínico: entre 10-20%, cefaléia e dispnéia; acima de 20%: confusão e irritabilidade; acima de 50%:inconsciência; acima de 70%: risco imediato de vida. Sua toxicidade se relaciona mais à inibição da respiração mitocondrial do que à interferência com o transporte de oxigênio sanguíneo.
Referência: VR*: até 1,0 % para não fumantes. IBMP**: até 3,5 % para não fumantes. *Valor de Referência para pacientes não expostos. **Índice Biológico Máximo Permitido (NR-7).