Manual de exames
Nome: DEHIDROEPIANDROSTERONA SULFATO - DHEA SO4 - Curva
Material: soro
Sinônimo: DHEA-SO4, DHEAS
Volume: 1,0 mL
Método: Quimioluminescência
Coleta: Jejum obrigatório de no mínimo 4h. Colher sangue de preferência pela manhã. Anotar uso de medicamento, principalmente corticosteróide. Lipemia atua como interferente. Se não for feito o exame no mesmo dia, congelar a amostra.
Interpretação: Uso: avaliação de mulheres com infertilidade, amenorréia ou hirsutismo, para identificação da fonte de androgênio; marcador de função cortical adrenal. O DHEA-sulfato é sintetizado quase que exclusivamente pelas adrenais. É um andrógeno fraco, sendo o principal esteróide C19 plasmático, e uma das principais fontes para 17-cetoesteróides. Seu uso pode, portanto, substituir as determinações de 17-KS. Seus níveis são marcadamente elevados em pacientes com hiperplasia adrenal congênita ou carcinoma adrenal. Aumentos moderados podem ser vistos na maioria dos pacientes com síndrome de Cushing pituitário-dependente, enquanto que valores baixos ou normais são vistos em síndrome de Cushing por adenoma adrenal. O câncer adrenal está geralmente associado a níveis extremamente elevados de DHEA. Sua determinação pode marcar o início da adrenarca, quando os níveis começam a se elevar. Suas determinações são mais comumente empregadas no diagnóstico diferencial de pacientes virilizados.
Referência: Homens - 80,0 a 550,0 ug/dL Mulheres - 10 a 20 anos: 37,0 a 280,0 ug/dL 21 a 30 anos: 64,0 a 380,0 ug/dL 31 a 40 anos: 45,0 a 270,0 ug/dL 41 a 50 anos: 32,0 a 240,0 ug/dL 51 a 60 anos: 26,0 a 200,0 ug/dL 61 a 70 anos: 13,0 a 130,0 ug/dL Acima de 70 anos: 10,0 a 160,0 ug/dL Crianças 1 a 6 anos: 2,0 a 30,0 ug/dL 7 a 9 anos: 2,5 a 74,0 ug/dL Obs :RN=30-250 ug/dL . Os níveis decrescem durante a primeira semana e após 6 meses atingem 2 a 20 ug/dL.