Manual de exames
Nome: ESTRIOL URINÁRIO - 24h
Material: urina 24 horas
Sinônimo: E 3, Estriol na urina
Volume: 20.0 mL
Método: Radioimunoensaio
Coleta: Coletar urina de 24 hs, enviar uma alíquota com a informação do volume urinário, refrigerar a amostra.
Interpretação: Uso: avaliação de função adrenal; avaliação da integridade da unidade materno-fetal. O estriol é um dos três principais estrogênios, juntamente com estrona e estradiol. É primariamente produzido a partir do estradiol, sendo excretado na urina nas formas conjugada (geralmente sulfatos) e livre. No soro, a forma conjugada está mais presente do que a forma livre. Durante a gravidez, o estriol é o estrogênio mais abundante, com produção significativa a partir da dehidroepiandrosterona (em tecido placentário). Suas concentrações aumentam dramaticamente na gravidez, e esta determinação é freqüentemente utilizada para determinar o bem-estar fetal. Em homens e mulheres não grávidas, suas concentrações são muito baixas. Seus valores são menores do que o esperado em casos de aplasia ou hipoplasia adrenal fetal, e maiores do que o normal em hiperplasia adrenal congênita. Valores aumentados: gravidez múltipla, uso de ocitocina. Valores diminuídos: sofrimento fetal, síndrome de Down, defeitos de tubo neural, processo gestacional normal com deficiência de sulfatases placentárias, uso de medicamentos (penicilina, corticosteróides, dexametasona, diuréticos, probenecida, estrogênios, fenolftaleína). Sua interpretação não deve ser feita em vigência de doença renal.
Referência: Homem: 1,0 a 11,0 ng/24h Mulher fase folicular : 0,0 a 15,0 ng/24h fase ovulatoria : 13,0 a 54,0 ng/24h fase lutea : 8,0 a 60,0 ng/24h fase pos-menopausa: 0,0 a 11,0 ng/24h Gestante 1º trimestre: 0,0 a 800,0 ng/24h 2º trimestre: 800,0 a 12.000,0 ng/24h 3º trimestre: 5.000,0 a 50.000,0 ng/24h