Manual de exames
Nome: ETANOL
Material: soro ou plasma
Sinônimo: Álcool etílico
Volume: 2,0 mL
Método: Cromatografia a gás
Coleta: NÃO REALIZAR a antissepsia com álcool. Coletar a amostra em tubo contendo fluoreto/oxalato e enviar a amostra de plasma ou soro congelada ao laboratório.
Interpretação: Uso: diagnóstico diferencial em pacientes comatosos; diagnóstico de intoxicação por etanol; uso forense em casos de determinação para fins legais; documentação de intoxicação alcoólica trabalhista ou familiar. O etanol é rapidamente absorvido pelo trato gastrointestinal, com picos de níveis séricos ocorrentes em 40-70 minutos após a ingestão em estômago vazio. Sofre metabolismo hepático a acetaldeído, e uma vez atingido o pico plasmático, seu desaparecimento é linear. A tabela abaixo relaciona concentrações séricas e urinárias de etanol e condição comportamental/clínica. Concentração Etanol Estágio Infl. Soro Alcoólica Efeitos ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 0.1-0.5 Sobriedade pouco efeito na maioria das pessoas 0.4-1.2 Euforia diminuição inibição, julgamento, perda do controle social 0.9-2.0 Excitação falta de coordenação, perda de memória e julgamento 1.5-3.0 Confusão desorientação, efeito emocional, fala enrolada, sensação de confusão 2.5-4.0 Estupor paralisia, incontinência 3.0-5.0 Coma reflexos deprimidos, respiração deprimida, possível morte
Referência: Sobriedade : 0,1 a 0,5 g/L Euforia : 0,4 a 1,2 g/L Excitação : 0,9 a 2,0 g/L Confusão : 1,5 a 3,0 g/L Esturpor : 2,5 a 4,0 g/L Coma : 3,0 a 5,0 g/L Wallach, J; Interpretation of diagnostic test, 6º edição, 1996