Manual de exames
Nome: IgE ESPECÍFICO (F234) Alimentos Lactose (Proteínas do leite)
Material: soro
Sinônimo: Proteínas do leite ( F76 , F77, F78 )
Volume: 1.0 mL
Método: Quimioluminescência
Coleta: Jejum de 4h ou conforme orientação médica.
Interpretação: É importante diferenciar Alergia Alimentar de outras reações a alimentos e, principalmente, de uma delas que a população confunde bastante, que é a Intolerância Alimentar. O açúcar do leite é chamado de lactose. A perda de capacidade de digestão da lactose (para os médicos, intolerância) que ocorre em uma parte dos adultos é diferente de alergia. Quanto a alergia, salientamos que, como outros açúcares , a LACTOSE, para espanto de muita gente , NÃO CAUSA ALERGIA . As proteínas do leite, sim ! Estas é que têm o poder de induzir inchaço, manchas pelo corpo, rinite, crises de tosse, de asma (chamada de bronquite), refluxo (volta do ácido do estômago) e sangramento intestinal. Desta forma o Laboratório Alvaro quando solicitado a realizar Ige específico Lactose estará realizando as proteínas do leite , que são os agentes causadores de alergia. Sendo assim, ALERGIA AO LEITE(proteínas do leite) é diferente de INTOLERÂNCIA A LACTOSE.
Referência: Concentração de Anticorpos IgE específicos (KU/L) Classe 0: < 0,10 : Ausente ou indetectável Classe 0: 0,10 a 0,34 : Muito baixo Classe 1: 0,35 a 0,69 : Baixo Classe 2: 0,70 a 3,49 : Moderado Classe 3: 3,50 a 17,49 : Alto Classe 4: 17,50 a 52,49 : Muito alto Classe 5: 52,50 a 99,99 : Muito alto Classe 6: >= 100 : Extremamente alto *Classe 0 não detectável pela 2a geração de testes Obs.: A Lactose, como todos os carboidratos, não tem resposta mediada por IgE, portanto, não existe alergia a Lactose. As proteínas do leite que podem iniciar um processo alérgico são: a Alfa lactoal - bumina, Beta lactoglobulina e Caseína.