Manual de exames
Nome: METANEFRINAS URINÁRIAS
Material: urina 24 horas
Sinônimo:
Volume: 20,0 mL
Método: Cromatográfico - HPLC
Coleta: Para a determinação de metanefrinas, a amostra deve ser coletada em frasco limpo contendo 10 mL de uma solução de HCl à 25%. Amostras coletadas com ácido e mantidas refrigeradas a 2-8°C são estáveis por até 5 dias. Amostras coletadas com ácido e mantidas congeladas a -20°C são estáveis por até 2 meses. Todas as amostras com solicitações para esses exames terão seu pH conferido pelo laboratório. Caso o pH da amostra seja superior a 4, a amostra será analisada sob restrição devido a possível ausência do conservante. Uma observação será colocada no laudo. Evitar a ingestão de cafeína antes e durante a coleta. Medicamentos que podem interferir: fenotiazídicos, beta bloqueadores, inibidores da MAO, diuréticos.
Interpretação: Uso: diagnóstico e avaliação de feocromocitoma; diagnóstico de tumores produtores de catecolaminas; diagnóstico de hipotensão postural. As catecolaminas são sintetizadas nas células cromafins do sistema nervoso simpático (epinefrina pela medula adrenal e norepinefrina e dopamina pela medula adrenal e neurônios simpáticos pós-ganglionares). Circulam no plasma em formas livres e ligadas a proteínas (albumina, globulinas e lipoproteínas). As catecolaminas plasmáticas exibem considerável grau de variabilidade fisiológica (stress, por exemplo). Conseqüentemente, as amostras devem ser obtidas de pacientes em posição supina e algum tempo após a venipuntura. As dosagens plasmáticas podem ser realizadas após estimulação. Em pacientes com hipertensão paroxística, a sensibilidade do teste pode ser aumentada iniciando a coleta após o episódio. O padrão de catecolaminas difere segundo a forma de tumor: feocromocitomas geralmente produzem norepinefrina e epinefrina; paragangliomas secretam norepinefrina e neuroblastomas também produzem dopamina. As metanefrinas urinárias são consideradas o melhor teste de triagem para feocromocitoma. Os níveis de catecolaminas e metanefrinas podem ser interpretados em relação à concentração de creatinina da amostra. As catecolaminas são excretadas na urina na forma intacta ou como metabólitos (metanefrinas e ácido vanilmandélico). Valores aumentados: feocromocitoma, ganglioneuromas, neuroblastomas, stress severo, hipoglicemia, certos medicamentos (metildopa, isoproterenol, nitratos, minoxidil, hidralazina), tabagismo, consumo de café. Valores diminuídos: hipotensão postural, síndrome Shy-Drager e disautonomia familiar.
Referência: Inferior a 1,0 mg/24h