Manual de exames
Nome: PROTEÍNA S - ANTIGÊNICA
Material: plasma citratado
Sinônimo:
Volume: 2.0 mL
Método: Enzima Imunoensaio
Coleta: Jejum de 4horas. Anotar se o paciente estiver recebendo anticoagulante oral. Separar e congelar a amostra logo após a coleta.
Interpretação: Uso: avaliação de trombose arterial ou venosa periódica; investigação de deficiência congênita ou adquirida de proteína S. A proteína S é uma glicoproteína vitamina K dependente, sintetizada no fígado e megacariócitos. Atua como cofator da proteína C, participando da degradação dos fatores V e VIII ativados. Valores diminuídos: coagulação intravascular disseminada, quadro inflamatório agudo, púrpura trombocitopênica trombótica, síndrome nefrótica, gestação, uso de estrógenos, insuficiência renal, anemia falciforme, pacientes com níveis anormalmente elevados de fator VIII. O ensaio funcional avalia a deficiência quantitativa e qualitativa da proteína S. O ensaio antigênico avalia a deficiência quantitativa de proteína S, mas não examina anormalidades qualitativas na proteína S. Os pacientes devem estar sem terapia de anticoagulante oral durante pelo menos 2 semanas antes do dosar os níveis de proteína funcional.
Referência: 60 a 150% Pacientes em uso de anticoagulante orais podem apresentar valores diminuidos de proteína 'S'. O uso de anticoagulantes oriais devem ser sus- pensos por 15 dias antes da dosagem dos níveis de proteína 'S'.